Memória dos Anjos

Da fé à perdição só vai um passo

 

Recital cénico com Cabaret, Ópera e Fado

para canto, piano e vídeo

 

Catarina Molder, Concepção e direcção artística

Jorge Rodrigues, Encenação

Noé Sendas, Vídeo

Helena Medeiros, Figurinos

Paulo Graça, Desenho de luzes

João Bengala, Arranjos musicais (fados)

 

Catarina Molder, soprano

Nuno Barroso, piano

 

Este recital cénico não só cruza múltiplas áreas artísticas procurando novos formatos para o tradicional recital de canto e piano , como conjuga repertórios e linguagens musicais a priori tão opostas como a ópera, o  cabaret e o fado.

Partindo da grande atracção entre os opostos, como princípio unificador , pretende-se desvendar as ligações possíveis e aparentemente ocultas destas diversas linguagens musicais, plásticas e cénicas, homenageado grandes momentos e grandes intérpretes/anjos que marcaram o kabarett, a ópera e o fado.

O Canto como uma libertação superior, a sublimação dos nossos gritos, dores, alegrias e desesperos que uma cantora desenvolve num percurso iniciático, perseguida por um mundo de imagens e sombras de um cenário vivo, projectado num amplo espaço nocturno.

A fé religiosa de Puccini passa em queda vertiginosa para a “perdição” com trechos da ópera Lulu de Alban Berg e da Cantata Fausto de Schnitke, com a provocação e sensualidade cruas do kabarett alemão, nas canções de Kurt Weill, Schönberg e Hollaender e a doce melancolia do fado.

 
Programa

Puccini, Alban Berg, Schönberg, Schnitke, Benjamin Britten, Kurt Weill, Spoliansky, António J. Mestre, Amadeu do Vale, Hollaender