ÓPERA DELIRIUM

A emoção e dramatismo da ópera para contágio imediato!

15 de Junho, 21h30, Lg. da Rainha, Palácio de Queluz, entrada livre

A Câmara Municipal de Sintra junta-se ao Ópera na Rua para levar a ópera a todos no magnífico cenário ao ar livre do Largo da Rainha, junto ao Palácio de Queluz, para uma noite de ópera inesquecível!

Uma casa vazia, três cadeirões, um armário cheio de provas...

Os fantasmas acordam os seus personagens, as sua tragédias, amores e desvarios. A morte é o fio condutor, a tragédia e a comédia, num delírio operático que evoca o grande repertório de sempre.

O dramatismo, intensidade, beleza e loucura da ópera para contágio imediato!

Puccini, Verdi, Bizet, Mozart.

Ficha artística e técnica
Concepção e direcção: Catarina Molder
Direcção cénica: Lígia Roque
Desenho de Luz: Anatol Waschke
Desenho e operação de som: Ricardo Costa
Direcção de produção: Nuno Barroso
Assistência produção: Inês Barroso

Elenco
Catarina Molder, soprano
Carlos Guilherme, tenor
Rui Baeta, barítono
Pedro Vieira de Almeida, piano

Ópera do Castelo

Criamos experiências únicas com ópera

Ópera para todos

A ópera para todos os públicos, com experiências inesquecíveis!

Ópera no Século XXI

 A ópera mais próxima do público em formatos inovadores

Quem Somos

A Produtora e companhia dirigida pela soprano Catarina Molder e pelo produtor Nuno Barroso pretende levar a emoção da ópera a todos, com projectos de ópera inovadores, cruzando tradição e contemporaneidade e claramente apostando na criação de novos públicos.

Apresentando versões portuguesas de grandes óperas de repertório,
transpostas para o mundo contemporâneo, projectos site-specific: ópera na discoteca, na escola, nos monumentos e nos jardins, aposta ainda em festivais de ópera ao ar livre de médio e grande formato, tirando partido do património arquitectónico urbano. Ainda se lançou no mercado áudio-visual com o premiado formato televisivo Super Diva ópera para todos, com a sua 3ª série já exibida na RTP2 e 1º série inglesa em distribuição mundial pela Unitel.


A ópera tem 400 anos, há cerca 100 anos que se apresentam as mesmas óperas, é preciso apostar na ópera do presente, em histórias e formatos do nosso mundo actual e aproximar esta forma de arte total fascinante do grande público, com experiências marcantes e inesquecíveis.